quarta-feira, 30 de outubro de 2013


Tenho estado tão longe de minha natureza, que algo em mim fica frio demais. Deixo livre toda poesia fluir sobre meus dedos e mesmo assim, escuto ao fundo, o fúnebre som das eras passadas, que em suas ruínas guardam a lembrança do que fui. Há de haver um caminho para tanta desolação. Ainda escuto a esperança me acordar com beijos musicais vindo de um simples tico-tico. É época de renovar o ninho, de escolher a semente certa e ergue o cesto pesado da existência e seguir. Feito animal-homem, mulher-poeira, criatura-criação-criador. Torno-me um espécime novo de mistura de Adão e Eva a ser criança no Éden. Não há serpentes nem árvores secretas de frutos proibidos. Em mim, nesse ser que se perde em si mesmo, tento a todo custo erguer-me feito erva-lanceta à beira da estrada de uma jornada de longos horizontes.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Passarinho


Sabiá
Tico-tico
E picharro
De manhã
Ainda leve
Acordam
do sonho
esse vosso
servo
a fenecer

Cantam
Maldizem
Levantam
O Sol
A vida
O corpo
A gaiola
Do meu amanhecer

Não sabem
Que padeço
Que sofro
Que lamento
Por não
Mais escutar
Ou sentir
Ou sorrir
Nesse meu triste viver?

Sabiá
Tico-tico
Picharro
Eu vos imploro
Não cantem
Não me acordem
Não quero mais
Nunca mais
Sofrer

É outubro
Eu sei
Já não mais vejo
Nem escuto
Nem bendigo
As letras
As casas
As flores
Do caminho
A florescer

Minha prisão
É a lida
De cada dia
Desse acorde
Desse lado
Dessa sina
Onde sofro
Onde choro
Onde lembro
O que é o meu viver

Sabiá
Tico-tico
Picharro
Eu vos imploro
Não cantem
Não me acordem
Não quero mais
Nunca mais
Sofrer.

domingo, 13 de outubro de 2013

CAVERNA


Trancados
Calados
Olhando
Sorriso camuflado
Máscaras vestidas
E passamos a vida toda
Acreditando
Sonhando
Que o teatro de sombras
É nossa realidade

O mais sábio de nós
Percebe
Questiona
E vê
Que o reflexo
Não é
Reflexão

O condicionador do pensamento
Nos abandona
Nos condena
A escuridão

Na entrada da caverna
O inconformado
Abre os olhos
Vê além
Acredita que o real
Possui três lados:
O dele
O nosso
E a interação

Quando volta
Fala
Tenta liberdade
É alvo
É morto
Pelo mais tolo de todos nós
Você
Eu.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Primaverando-se

A primavera sempre me traz alegria. E sendo a primavera a época em que as flores preenchem nossos olhos, colorem nossos sonhos e perfuma nossas vidas, quero aqui usar todo esse meu gosto por esta estação e dedicar cada flor abaixo às pessoas que como a primavera, fazem a mim muito bem e que deixam minha vida repleta de felicidade.



Para minha FAMÍLIA: Ísis, a flor da continuidade.


Para minhas COLEGAS DE TRABALHO: Rosa, a flor da superação constante. 


Para meus AMIGOS (AS). Primavera, a flor da alegria


Para meus COMPANHEIROS(as) de ESTRADA: Lobeira, a flor da coragem e da força



Para AQUELES que rezam por mim: Romã, a flor da fé.


Para os POETAS. Pessegueiro, a flor da poesia.