terça-feira, 15 de maio de 2012

Caverna


(http://estereotipodaperfeicao.blogspot.com.br/2012/02/os-idolos-de-bacon-obstaculos-ciencia.html)

Trancados
Calados
Olhando
Sorriso camuflado
Máscaras vestidas
E passamos a vida toda
Acreditando
Sonhando
Que o teatro de sombras
É nossa realidade

O mais sábio de nós
Percebe
Questiona
E vê
Que o reflexo
Não é
Reflexão

O condicionador do pensamento
Nos abandona
Nos condena
A escuridão

Na entrada da caverna
O inconformado
Abre os olhos
Vê além
Acredita que o real
Possui três lados:
O dele
O nosso
E a interação

Quando volta
Fala
Tenta liberdade
É alvo
É morto
Pelo mais tolo de todos nós
Você
Eu.

Chuvisco


(Chuvisqueiro. Foto: Victor said, 2009)
Choverá eu não sei
Chuvisco fresco
Esse veio.
Se chover forte
Temerei
A queda do vaso
Com jasmim
Que plantei.


_________________________________________________


Há várias coisas que eu realmente preso nessa vida, entre elas está a chuva e as flores. A chuva por renovar o chão que piso e cultivo e vivo. E as flores por terem a capacidade de afastar para bem longe de mim todo o mal e também por dar cor os meus olhos, e delas eu poder ver a poesia em tempo real.