terça-feira, 15 de novembro de 2011

233.010.021.980


Na noite mais escura
Vi pela primeira vez
A luz moribunda
Nada mais foi dito
De um lado apenas gemidos
Dor daquela que me pariu

Depois vieram os dias
O tempo lascado na pele
E os espelhos a negar o vivente
Deixei perdidas sementes
E nada mais fiz

Quando vejo minha letra
Rascunhada nesse chão
Vejo o quão é generoso
O deus que eu não creio
Pois me fez muito mais que borrão
Livre me fez de freios

Da noite mais escura
Do mais amargo chicote
Da solidão tão absurda
Eu vi a luz
Depois parti.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Acordei

Metamorfose de Narciso - Salvador Dali

Hoje eu acordei assim:
Revestido de dia
Sobrevivido de tormenta
E esperando o tempo passar...

Tempo passa rápido
Leva de mim o brilho dos olhos
E se eu não usar
Apaga-os com a facilidade
No sempre e nunca
Do relógio a trabalhar.

Hoje levantei contando causos
Reinventando as linhas
E ditando acontecimentos nas páginas
Brancas páginas
Imaginárias.

Fiz da moeda seguro
Degustei de versos desnudos
E vivi por um simples instante
Poesia
Palavras e atos inconstantes

Desacreditei velhos paradigmas
Assassinei os preconceitos que ainda viviam em mim
E bebi em cálices de aguardente
Água, nada mais.