domingo, 17 de abril de 2011

Mariposas e borboletas

Boas
Borboletas
Bobas
Que não sabem que da noite
A estrela não cega

Mariposa em traje de gala
Noturna
Voa...

Bate asas e sopra vento
Nas ventas da contra-mão

Borboletas são coloridas
Maquiadas de falsidade
Vivas cores de ilusão
Morrem cedo
Nessa vida
Enquanto a mariposa
Voa...
Nas linhas da contradição

Livre é o seu bailado
Na dança e no passo
Da linda cinza-negra
Mariposa

Esposa notívaga
Que é mais bela
Que céu cravejado
De borboletas
Bobas
Em pura cor

Voa mariposa
Enquanto cessa
O voar das boas
Bobas
borboletas.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

“Moiano” o pé

O que é vida marinha
Pra um mineiro
Que não sabe o que é o mar?

Da lagoa
Conheço do fundo
E do leito do rio
Que corre lá
Perto da ponte
De minha Sinhá
Mas não sei o que é o mar

Só sei que
Quando meus irmãos
O viram de acolá
Disseram que em suas águas
O sal parecia lágrima
De uma sereia que estava
A amar.


terça-feira, 12 de abril de 2011

Gota

Última gota
Que se cala
Que cai
No silêncio da poça
Da ponta da calha

Gota caída
Molhada
Que tomba
E fica à toa
Se espalha

Era gota malandra
Separada
Última da ponta
Da beira
Da calha.